sexta-feira, 18 de julho de 2014

Prazer Em Te Conhecer

Se você fosse outra pessoa, você gostaria de conhecer você? Peraí, ficou confuso? Normal. Afinal de contas, você é você - e se você não fosse você, quem você seria então - ou quem você conheceria então? Mas imagine a situação: se você fosse sua mãe, você gostaria de ter o(a) filho(a) que tem? E se fosse seu irmão? E se você fosse um de seus amigos, o que você admiraria e o que você reprovaria em você?

Sei que ficou um papo meio de ficção científica, mas a intenção é que cada um reflita sobre como temos sido na vida e, em especial, no relacionamento com as pessoas mais próximas, as que mais amamos. É comum avaliarmos como os outros têm sido conosco e pontuarmos os defeitos insuportáveis que os outros têm. Mas será que percebemos os nossos? Será que nos esforçamos para melhorar por aqueles que amamos e nos amam também? Ou temos falhado - e sido até insuportáveis às vezes? Seja como for, uma boa notícia: ninguém é perfeito.

Não é isso que repetimos? É verdade! Não somos nem ninguém é! Porém não podemos ter essa frase pronta como desculpa. E devemos sim acreditar que é possível e vale a pena mudar algumas coisas que de fato são ruins em nós. Talvez falte humildade, força de vontade, foco nas atitudes positivas, disciplina e... joelhos no chão! É...

Tem certas horas que só Papai do Céu para colocar ordem no nosso mundo bagunçado! E nos dar força pra seguir e nos amar apesar de nós mesmos. Tem dias, acreditem, que se não for a graça de Deus eu não me aturo! Mas se essa graça me suporta todos os dias, no melhor dos sentidos, quem sou eu para desistir de mim? Se Deus me ama, quem sou eu para não me amar? Vamos vivendo um dia de cada vez e deixando mais e mais Ele nos moldar. E Ele usa pessoas e diferentes situações para fazer isso - mesmo que na hora não entendamos.

Vamos lá então: já refletiu sobre o que precisa mudar ou melhorar? Vai estar mais atento, vai pedir ajuda divina, vai ouvir mais as pessoas que te amam? Se respondeu que sim, parabéns! Você não vive só pra você - e isso é um bom sinal! Não que devamos viver só em função dos outros, nem que quiséssemos conseguiríamos agradar todos. Buscar isso é furada! Por isso para amar é preciso se amar primeiro. E, se amando, é que vamos melhorando a cada dia! Acredite: você pode brilhar a luz Dele com mais intensidade onde Ele te colocou. Então, brilhe! E, ao se olhar no espelho, diga com um sorriso largo: "Prazer em te conhecer também!" ;)

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Reencontro

- Oi!
- Oi.
- Como você está?
- Bem. E você?
- Estou bem, com alguns problemas a resolver, mas bem. Desculpe perguntar, mas você está bem mesmo?
- Mas por que quer saber? Não entendo a insistência.
- É porque a maioria das pessoas perguntam isso, mas não querem saber de verdade se você está bem ou não. Falam só por educação. Mas eu me importo com você! Quero saber como está! Perguntei pois tenho te visto amarrado nessa cadeira há alguns dias.
- Ah, sim, é verdade. Mas estou bem assim. Na verdade, não tão bem, mas é a vida né! Uma pergunta: se me viu assim antes, por que não veio falar comigo assim que me viu?
- Porque meus pés estavam amarrados pelo egoísmo. Estava naquela sala com ar condicionado, te olhando de cima, com medo de perder a mim mesmo saindo de lá. Estava com medo de você não me aceitar. E não queria perturbar minha paz.
- Paz? Me vendo sofrer e não fazendo nada?
- Na verdade, vi uma vez e fechei a cortina. Aí liguei a TV, entrei no Facebook, falei no telefone com fulano, acenei para beltrano e dormi. Esqueci de você.
- Ah sim, muito obrigado! Cara de pau você.
- Sim, eu sei, por isso estou aqui. Me perdoe. Fui egoísta, me alienei pois a realidade daqui de fora, tão escuro, era demais pra mim.
- E eu já aprendi a viver aqui no escuro, com frio, sozinho, amarrado. Na verdade às vezes até esqueço que estou amarrado. Essas cordas parecem que fazem parte de mim.
- As minhas também pareciam. Mas o Verbo me libertou. E me abraçou. E não tive mais medo de SER. Aí resolvi descer e te soltar. Agora estamos olhando um nos olhos do outro e olha só o que vou fazer!
   Silêncio seguido de um alívio.
- Como você me soltou?
- Com o Amor que me libertou. Ele desfaz qualquer nó. Está se sentindo melhor?
- Claro! Muito obrigado!!!
- Posso te dar um abraço?
Sorrisos, abraço apertado, choro, sorrisos.
- Agora vamos caminhar juntos, ok?
- Sim! Será um prazer!
- Só uma coisa: qual é o seu nome mesmo?
- Prazer, eu sou Você.

Amigos, essa foi a história de alguém que, se reconhecendo verdadeiramente livre em Jesus, se reencontra, faz as pazes consigo, e se encontra apto a fazer o mesmo pelo seu semelhante. Nos encontramos em Deus, em primeiro lugar, e uns nos outros! Será que você, cristão ou não, não precisa fazer o mesmo? Pense nisso! =)

quinta-feira, 24 de abril de 2014

O Problema do Conhecimento

Há algum tempo, muitos evangélicos no Brasil, por questões culturais, valorizavam o crente "burro", que não estudava, não lia, fechado na sua capacidade de criticar a si e ao que estava posto, fechado para aprender com o mundo à sua volta, alienado do que não fosse "espiritual". Essa mentalidade já mudou, graças a Deus, e a maioria de nós não tem visto o saber como um demônio, mas como uma ferramenta útil, um meio para chegarmos a lugares no mundo e na vida.

Por outro lado, homens de Deus inteligentes, capacitados intelectualmente, estão diante de duas grandes possibilidades: 1) de serem extremamente sensíveis às demandas de nosso tempo e usados por Deus com autoridade e voz profética (não no sentido de alguns "profetas" de fundo de quintal que infelizmente conhecemos, mas sim que manejam bem a Palavra, a aplicam corretamente em nossos contextos e o fazem cheios do Espírito), e 2) ao confiarem tanto em seus racionalismos e capacidade, deixarem de ser dependentes do Espírito, falando do que está em seus corações simplesmente, e não do que está no coração de Deus, correm o risco de interpretarem a Bíblia à luz de outras ciências (embora utilizar-se de outras ciências tenha seu valor) e de relativizarem tudo que não se enquadra nas suas conjecturas intelectuais.

Como podem ver, de um jeito ou de outro, sempre corremos riscos - ainda que fugindo deles. Faz parte da vida. E do desafio de ser cristão no mundo. E do desafio de ser. Eu não me considero um super intelectualizado, nem pretendo ser, mas gosto de ler, de me informar, de articular conhecimento, de questionar. Só peço a Deus, de todo coração, que eu nunca viaje pra longe Dele, que meu coração continue queimando pela Palavra Dele e que Ele seja o número 1 sempre e eu venha depois - e o meu próximo comigo. Que eu seja uma voz profética nesse tempo, mas na simplicidade, sem alardes, sem presunções, nem arrogâncias. E eu compartilho isso aqui não para mostrar que sou muito espiritual, mas para que outros cristãos estejam igualmente atentos ao perigo dos extremos de uma religião sem Ele - ainda que cheia do nome Dele. Bora refletir e viver a simplicidade e a profundidade do Evangelho? E viver isso no mundo?